Você está aqui: Página Inicial > Acesso à Informação > Ações e Programas > Ações da Receita Federal > Notícias > 2017 > Fevereiro > 5ª Região Fiscal > Receita Federal apreende celulares e roupas de marca no aeroporto de Salvador

Notícias

Receita Federal apreende celulares e roupas de marca no aeroporto de Salvador

Bahia

A apreensão faz parte da operação conjunta Céu Azul
por publicado: 21/02/2017 16h06 última modificação: 02/06/2017 14h55

Durante uma operação conjunta no aeroporto de Salvador, a Receita Federal apreendeu 30 celulares e uma mala com roupas de marcas conhecidas.

A proprietária, uma estudante de Salvador, veio em um voo de São Paulo e não possuía as notas fiscais dos produtos. Os celulares eram usados e estavam sem os acessórios, o que levantou a suspeita de serem roubados.

A mercadoria foi retida pela Receita Federal e, caso não seja comprovada a regular importação, será encaminhada para perdimento, em que não há possibilidade de reaver os bens com o pagamento dos tributos devidos. A suspeita de receptação de produtos roubados será investigada pela polícia.

Operação Céu Azul

No período pré-carnaval, de 21 a 23 de fevereiro, a Receita Federal e as polícias Federal e Civil realizam operação conjunta de combate ao tráfico no aeroporto de Salvador. Os órgãos  farão a fiscalização de voos domésticos, com o objetivo de combater a entrada de drogas, armas e contrabando no estado. Também integram a operação o Departamento de Polícia Técnica e a Coordenação de Operações Especiais.

"O trabalho conjunto entre os órgãos aumenta a efetividade da repressão e produz melhores resultados", ressalta o chefe da Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho na 5ª Região Fiscal (Direp05), Joselito Correia.

A análise e seleção de voos a serem fiscalizados foi feita pela Receita Federal, com foco na repressão ao contrabando e descaminho.

Para as mercadorias com importação irregular encontradas, será aplicado o procedimento administrativo de perdimento. Também será realizada representação para fins penais, para responsabilizar criminalmente, por  contrabando ou descaminho, o proprietário da mercadoria.

No ano passado, essa operação foi realizada no mesmo período.

registrado em: