Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2018 > Fevereiro > Operações da Receita com cães de faro resultam em diversas apreensões de drogas no início de 2018

Notícias

Operações da Receita com cães de faro resultam em diversas apreensões de drogas no início de 2018

Entre ações no Aeroporto de Guarulhos e nos Correios foram 5 apreensões de cocaína somente em janeiro deste ano
publicado: 09/02/2018 16h48 última modificação: 09/02/2018 16h48

As operações contra o tráfico ilícito de entorpecentes realizadas na Central dos Correios em São Paulo e no Aeroporto Internacional de Guarulhos, com o auxílio dos cães de faro da Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da 8ª RF (Direp/08), já apresentaram resultados no primeiro mês de 2018.

No Aeroporto de Guarulhos, na madrugada de 07 para 08 de fevereiro de 2018, em operação conjunta com a Equipe de Vigilância, os cães de faro da DIREP/08 foram decisivos para detecção de entorpecente e prisão em flagrante de um passageiro tunisiano, com destino final a Tunísia. Em suas bagagens havia 4 recipientes térmicos contendo um total líquido de 1,978 quilogramas de cocaína. Um detalhe é que, para tentar dissimular o odor, utilizaram-se de borra de café junto ao narcótico. O passageiro foi conduzido à Delegacia da Polícia Federal.

Na Central dos Correios em São Paulo, as equipes de K9 da DIREP/08, com seus cães de faro Grace, Bart e Deco, em ação conjunta com a Alfândega de São Paulo, realizaram as seguintes apreensões:

- 15 de janeiro de 2018: Uma carta com destino a Zimbábue continha 30 gramas de cocaína embalada a vácuo em plástico laminado.

- 18 de janeiro de 2018: Desta vez no setor de importação, foram detectados pelos cães 2 pequenos tubos contendo extratos de cannabis sativa em encomenda com origem em Seattle, nos Estados Unidos.

- E, no dia 29 de janeiro de 2018, novamente os cães detectaram: 2 envelopes com destino a Zimbábue, contendo cerca de 10 gramas de cocaína cada um; uma encomenda, com destino à Índia, contendo cocaína oculta na caixa de papelão, pesando aproximadamente 250 gramas; e mais uma encomenda, desta vez destinada a Moçambique, contendo cocaína oculta em uma peça usinada de metal, pesando aproximadamente 1,1 quilograma. Para se ter acesso ao entorpecente, neste último caso, foi utilizada uma máquina de furar industrial.

registrado em: ,