Você está aqui: Página Inicial > Acesso Rápido > Direitos e Deveres > Educação Fiscal > Todos Juntos Contra a Corrupção > A SONEGAÇÃO FISCAL E A CORRUPÇÃO

A SONEGAÇÃO FISCAL E A CORRUPÇÃO

por 05431685147 publicado 04/10/2017 15h10, última modificação 05/03/2018 17h35

A sonegação fiscal, assim como a corrupção, reduz a capacidade do Estado de desenvolver as suas políticas públicas, prestando serviços e oferecendo bens públicos, como escolas, hospitais, segurança e saneamento básico.
Enquanto na sonegação os recursos públicos não ingressam no Estado, por meio da corrupção os recursos são retirados do Estado. Ambos são crimes que prejudicam toda a sociedade.

A Receita Federal tem o papel de proteger a indústria nacional e manter um nível de arrecadação condizente com as necessidades do país, tendo como uma de suas missões o combate à sonegação, ajudando a manter a isonomia entre as empresas que atuam no mercado nacional. Sem perder o foco na punição aos sonegadores, o órgão também se preocupa, cotidianamente, em facilitar o cumprimento das obrigações por parte dos bons contribuintes.

A ENCCLA e a RFB

A Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA) consiste na articulação de diversos órgãos dos três poderes da República, com a participação da Secretaria da Receita Federal do Brasil e da sociedade civil que atuam, direta ou indiretamente, na prevenção e combate à corrupção e à lavagem de dinheiro, com o objetivo de identificar e propor ajustes aos pontos falhos do sistema antilavagem e anticorrupção.

Em 2017, foram estipuladas 11 Ações, dentre as quais destaca-se a Ação 6 que tem como objetivo consolidar propostas de prevenção à prática da corrupção fomentando a integridade social e a educação para a cidadania.

Para saber mais sobre sobre a ENCCLA, clique aqui.

Para saber mais sobre a Ação 6 da ENCCLA 2017